16 de abr de 2010

O EVANGELISTA GADARENO

O EVANGELISTA GADARENO
Texto: Marcos 4.35 – 5.20
I – Introdução – O amor de Jesus.
Jesus é maravilhoso. Ele continua acalmando as tempestades da vida e transformando endemoninhados em evangelistas. Jesus estava pregando em Cafarnaum, num lado do mar da Galiléia, a uma grande multidão através de parábolas. As parábolas assim como o evangelho tende a prender a atenção da pessoa chamando-a para uma decisão. Aquelas pessoas ouviam de bom grado a Palavra do Senhor e muitos já haviam se convertido e fortaleciam sua fé ouvindo o Mestre, que fazia de seu barco seu púlpito. Mas o amor e a sensibilidade de Jesus nos surpreende. Ele sente no seu espírito que há uma única alma do outro lado do mar que precisa desesperadamente dele. Assim como o Mestre temos que amar apaixonadamente os perdidos e ter a sensibilidade em alerta para ouvirmos a voz de Deus. Só conseguimos isto através de uma vida íntima com Deus. Que o Espírito Santo nos sopre para onde quer que uma vida necessite da Palavra da Salvação! Jesus deixa aquelas centenas ou talvez milhares de pessoas num lado da margem, apanha um barco e vai com seus discípulos em direção àquela vida. Não diz as Escrituras que eram cem ovelhas e que Jesus deixou 99 no aprisco e foi atrás daquela que havia se perdido (Lc. 15. 1-7)? Quem ama como Jesus? Quem é como o Rei? Talvez você esteja hoje longe de Jesus do outro lado do mar a ponto de ninguém mais te ver. Mas Ele continua te vendo! Ele está sempre disposto a pegar um barco e ir a sua direção, pois o Filho do homem não veio para condenar o mundo, mas para achar e salvar o que se havia perdido! (Lc. 19.10). Jesus estava em Cafarnaum e até chegar em Gadara havia por volta de 20 quilômetros. Quando estamos numa praia olhamos para o mar e não conseguimos ver o País que está do outro lado. Mas Jesus enxerga de longe, sua vista é de longo alcance, ou melhor, de ilimitado alcance. Ele não perde ninguém de vista...(Jr. 23.23,24)
II – O Homem endemoninhado.
Mas quem era a vida que precisava tanto de Jesus, a ponto de Ele deixar a multidão e ir a sua direção?
Era um homem que vivia sozinho, nu, gritando e clamando pelos cemitérios e desertos, ferindo-se a si mesmo e vivendo uma vida miserável. A Bíblia não diz se ele era casado ou solteiro, mas uma coisa é certa, ele havia perdido sua família, pois estava miseravelmente possuído por milhares de demônios.
A Bíblia diz que era uma Legião, e uma legião no império Romano era um grupo de 6.000 soldados, ou seja, existia por volta de 6.000 demônios possuindo e atormentando aquele homem dia após dia a fio. Diz ainda a Bíblia que o Diabo vem para matar, roubar e destruir (Jo. 10.10), e é exatamente o que os milhares de demônios estavam fazendo com aquele homem. Eles já tinham conseguido roubar e destruir, só faltava matá-lo. Destruíram e roubaram sua família, pois o alvo do diabo é alguém da família para destruir os demais componentes. Assim se vemos que um familiar está sendo derrotado e muitas vezes usado pelo inimigo temos que jejuar, orar e lutar por aquela vida, pois nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra os demônios que muitas vezes estão por trás das tristes ações de muitos daqueles que amamos (Ef 6.10-13). Ânimo! Pois as armas que Deus nos dá não são carnais, mas poderosas para destruir as fortalezas dos espíritos imundos (2 Co 10.4-5). Como fez com Moisés o Senhor vai resgatar os nossos das águas da morte, livrando-os dos perigos do Nilo (mundo). Destruíram e roubaram sua mente (pois estava perturbado 24h por dia); sua dignidade (pois perdeu sua casa, família e vivia isolado como um louco perigoso), seu bom testemunho (pois estava nu e envergonhado), enfim o Diabo conseguiu destruir e roubar aquela vida. A sociedade não dava nenhum valor para o homem, pois a sociedade quando não consegue resolver um problema social de sua responsabilidade prefere isolar este alguém se possível com algemas (Mc. 5.3). Não devemos esperar muita coisa da sociedade corrupta e idólatra na qual vivemos. Enfim duas forças (Satanás e a Sociedade que representa o mundo sem Deus) estavam destruindo o homem que estava à beira de uma morte trágica e vergonhosa para mais um troféu na galeria de Satanás!  Todavia faltava uma Força: Jesus estava a caminho...Cristo é misericordioso! O amor de Deus é misericórdia. É um amor que age e não é limitado por nada. A palavra misericórdia vem do grego “miser” – miséria; e “cárdia” – coração, daí a palavra cardíaco. O coração daquele homem estava espiritualmente miserável a ponto de estar à beira de um ataque cardíaco demoníaco, mas o Médico dos médicos estava a caminho! Deus não deseja que você morra e Ele está mais uma vez a caminho...Por isto como diz o Espírito Santo, se hoje ouvir a voz de Jesus, não endureçais vosso coração! (Hb. 3.6-8 )
III – A tempestade
Diz a Bíblia que Jesus estava a caminho e uma forte tempestade se levantou. É assim mesmo, quando Jesus está perto de nos libertar ou operar milagres em nossas vidas, sempre a tempestade vai surgir e se levantar entre nós e o Mestre. Ondas da tentação da adversidade, do desânimo, da traição, etc., vão se levantar sobremaneira. Porém o Mestre estava dormindo, ou seja, totalmente no controle da situação. Não importa o tamanho da tempestade, Jesus está sempre no controle. Diz a Palavra em Naum 1.3 que Ele faz o seu caminho no meio da tormenta (tempestade) e as nuvens são o pó dos seus pés, isto é, por maior que seja a tempestade, tudo está abaixo dos pés do Todo-Poderoso! Mas o que faz Jesus dormir e ter tanta tranqüilidade e discernimento em meio às dificuldades da vida? Oração é a resposta. Em outra ocasião que Ele andava por cima do mar para salvar os discípulos, sabe de onde que ele vinha? Exatamente da oração (Mt. 14.23-25). Uma noite inteira orando. Se quisermos andar por sobre as águas, ir a sala do banquete, suportar “dormindo” as calamidades da vida, sigamos Suas pegadas. A única pessoa que pode impedir de Jesus chegar até você é você mesmo. O Mestre está a caminho...Deixarias tu Ele completar a obra na sua vida, ou vai naufragar na tempestade levantada pelo inimigo? Sim, possivelmente esta tempestade não foi comum, um simples fenômeno da natureza. Ela foi provocada...Há tempestades na nossa vida que são normais pois também estamos sujeitos às leis do Universo. Tem dia que chove demais, tem dia que esquenta demais, enfim, estamos sujeitos, pois se Deus manda chuva e sol tanto para bons quanto para maus, não é de se admirar que estamos sujeitos às “surpresas climáticas” da vida. Porém a Tempestade neste momento era maligna. Primeiro porque Jesus a repreendeu. Ora só há repreensão quando há algo de errado, Jesus não repreenderia uma chuva vinda diretamente do Pai e sim caso houvesse necessidade clamaria ao Pai, e não repreenderia. Segundo que as mesmas palavras que ele usou para repreender a tempestade ele usou para repreender demônios (Mc. 1.25,26 c/ Mc 4.39). Conjeturando, podemos imaginar que daqueles milhares de demônios, um olhou para o outro e disse: Você não está sentindo uma brisa diferente vinda do mar não? Uma brisa que cheira amor, poder, paz e libertação? E neste momento o chefe deles manda um “ralé” espiar o que estava acontecendo. Este vindo diz: - É chefe, quem está vindo aí é Jesus e vem na nossa direção! Então o chefe diz: “Não, este homem não pode chegar aqui de jeito nenhum! Então ele envia milhares de demônios para “sacudir” o barco de Jesus, afinal ele se fez carne e também poderia sofrer algum dano, mesmo porque em sua paixão ele cansou, teve sede, enfim resistiu em sua natureza humana. Os discípulos que eram marinheiros experientes deste mesmo mar não se impressionavam fácil com as chuvas, mas com esta “estranha tempestade” eles foram tomados de grande medo. Há situações que são bem maiores do que nossa natureza carnal, daí a necessidade da oração e busca para enxergas o sobrenatural maligno e expeli-lo de nossas vidas. Enfim, os milhares de demônios não conseguiram deter o Mestre! Não nos admira pois o nosso último inimigo poderoso não conseguiu detê-lo no sepulcro (1 Co 15.26 c/ At 2.24), quanto mais os demônios podem deter o amor do Rabi da Galiléia em salvar uma alma! Glórias a Deus! E o Mestre chega firme e resoluto à terra dos gadarenos...
IV – O Encontro
Adeptos de uma seita G12 acha que conseguir “encontrar” Jesus” só é possível em um retiro de três dias onde não podem contar o que aconteceu naquele lugar, contrariando completamente a palavra de Deus (2 Co 3.1-3). Temos que ser cartas abertas sem nos esconder dos homens, pois se algo sendo bom e é da parte de Deus, por qual motivo esconder? Jesus não depende disto para se manifestar a ninguém. Ele não está limitado a um retiro ou qualquer cerimonial que seja. Não devemos nos afastar da simplicidade que há em Cristo. Ora não questionamos o “método” G12 de evangelização e sim o “conteúdo” ensinado onde infelizmente muitos crentes “reconfessam” pecados já perdoados pela Pessoa bendita do Filho de Deus! Ora, a crucificação foi uma só! Quer encontrar com Jesus? Esteja aos pés da cruz! (Hb. 4-6) Eis Jesus na praia de Gadara! Os demônios então tentam uma outra estratégia e a Bíblia fala para não ignorarmos seus ardis – estratégias. Eles adoram ao Mestre pensando em continuar naquele corpo ou naquela província. Mas Jesus desmascarando eles perguntou: Qual é o seu nome? E eles responderam “Legião”, pois eram por volta de 6.000. Não suportando mais a presença poderosa para Jesus, eles deixam o corpo do homem e após a autorização de Jesus tomam cerca de dois mil porcos e se lançam no precipício morrendo afogados no mar. O inimigo quer nos lançar no precipício e nos matar nas águas da rebelião. Alguém indaga: Por que Jesus permitiu isto? 1) Ele é soberano sobre todos os animais e faz o que quer (Sl. 50.10,11 c/ Sl 24.1) e ainda que nos faltasse argumentos deveríamos entender que Ele o fez porque quis, sem admitir discussões. Se degolamos o pescoço da galinha e a comemos sem dó que direito temos de questionar a atitude do Oleiro? (Rm 9.21) 2) O porco era proibido na cultura de Israel (Lv 11.7) e se o criador de porcos fosse judeu estava abertamente descumprindo a Lei. Mas por ser uma região dominada por gentios, crê-se que o criador de porcos era gentio. 3) Possivelmente foi uma demonstração dramática do poder de Jesus sobre aqueles demônios, demonstrando que eles queriam fazer o mesmo com aquele homem no qual faziam morada, bem como o confirmando que estava liberto 4) Os mesmos demônios que se levantaram no mar, “morreram” no mar, ou seja ficaram sem corpo para habitar e isto é terrível para os demônios. Ficaram sem porcos e sem homem, vagando sem rumo. Até hoje eles devem estar odiando este tal de Nazareno! E assim o homem foi salvo, sem retiro, sem farisaísmo, mas na graça e no poder de Jesus!!!
V – Os frutos da Salvação
É impressionante a completa transformação que Jesus realiza na vida de uma pessoa. Tomamos como exemplo este homem gadareno:
Antes de Jesus (Mc 5.1-5)
1) Em suas emoções - perturbado
2) Nu – Envergonhado
3) Mente – Louco
4) Sociedade – Vivia isolado
Depois de Jesus (Mc 5.15-20)
1) Em suas emoções (tranqüilo)
2) O que estava nu, agora estava vestido
3) O que estava louco agora está em perfeito juízo
4) Sociedade – Queria ir com Jesus e viver como um de seus discípulos, mas acabou sendo enviado pelo Mestre a pregar para sua gente na província de Decápolis, um lugar constituído de dez cidades!
Analisando os frutos da salvação não tem como não notar uma pessoa verdadeiramente convertida. Os familiares e os vizinhos são os que mais notam a diferença e temos que continuar impactando-os com nosso testemunho e convite até que os mesmos vivam a transformação que vivemos. O louco e perigoso agora é um fervoroso evangelista cheio de amor pelas almas.Na primeira mudança (emoções) vemos o homem com espírito manso e tranqüilo assentado aos pés de Jesus...Você que é salvo brota o fruto da mansidão para a sociedade? Na segunda mudança (vestes) vemos que o Nu agora anda comportadamente vestido. Não falamos de saia, calça ou bermuda, mas você como convertido (a) tem se vestido com pudor e modéstia? Na terceira mudança (Juízo) a mente do convertido é controlada por Cristo. Devemos pensar nas coisas de Deus (Fp 4.8). Alguém diz: “Cuidado com o pensamento, ele vira sentimento, cuidado com o sentimento, ele vira atitude, cuidado com a atitude ele molda seu caráter, cuidado com o caráter ele te leva a um destino...Se algo ou alguém ganha tua mente, não demora muito para ganhar teu coração. Quem ou o quê está morando na sua mente? Na quarta mudança temos o Evangelista Gadareno saindo do isolamento (Pv 18.1) para uma vida evangelística...Estamos falando daquilo que temos visto e ouvido para as vidas não salvas? Tomemos pois a ordenança do “ide” e saiamos da cômoda inércia espiritual.
Assim Jesus faz.

Nenhum comentário: