26 de mar de 2010

O CAMINHO QUE VAI PARA O ALTO

O CAMINHO QUE VAI PARA O ALTO







Ilustração: Você sabia que a famosa torre Eiffel, em Paris, possui 1585 degraus até ao topo?


O topo, propriamente dito é inacessível aos turistas. Ali há um ponto onde o último rebite foi fixado a martelo, no dia 30 de março de 1889. No dia seguinte, 31 de março, as primeiras pessoas subiram a Torre. Cerca de 50 iniciaram a subida, mas apenas 20 chegaram ao topo permitido.


A bandeira da França foi hasteada, e uma salva de 21 tiros anunciou o final da obra: a Torre estava concluída!


Hoje é possível subir até ali de elevador e todos os turistas que vão a Torre Eiffel, preferem esse meio mais rápido e mais fácil.


Prezado amigo, você já reparou como todos nós sempre buscamos o caminho mais fácil e mais rápido? Mesmo nas questões espirituais isso tem acontecido. Alguns há, que buscam meios mais fáceis para se chegar aos céus. Preferem por exemplo, dar ofertas a instituições e esmolas aos pobres, que viver uma vida de submissão a vontade divina. Mas não existe ‘elevador’ para os céus.


Jesus falou sobre os dois caminhos: o largo e o estreito, em Mateus 7:13-14. Ele disse que o caminho largo é aquele em que muitos caminham por ele e por isso é largo. E porque é largo, muitos o preferem, uma vez que não precisam se esforçar para atingi-lo.


Por outro lado, o caminho estreito é estreito, porque poucos andam nele, e porque poucos por ele andam, continua estreito e torna-se muito mais difícil caminhar por ele.


É estranho que o ser humano opte pelo caminho fácil, uma vez que o sábio Salmão adverte em Prov. 13:15: “o caminho dos pérfidos é intransitável”. Não consideram eles que um dia se depararão com uma situação insustentável? Por exemplo: quem inicia no hábito do fumo, não pensa que o fim desse caminho poderá vir a ser um câncer? Ou quem inicia no hábito da bebida, não poderá acabar desenvolvendo uma cirrose? Porém a pessoa não atenta para o final do caminho. Ela quer apenas e tão somente viver o hoje.


Na vida espiritual, Deus espera que sejamos diferentes, originais. Que não sejamos repetitivos, seguindo o pecado como toda a gente o faz.


Deus espera que Seus filhos caminhem pelo caminho estreito que pode inicialmente parecer sem atrativos, penoso e desinteressante, mas que conduzirá finalmente ao lar eterno.Infelizmente, poucos aceitam o desafio divino. Mas esses têm sua vida totalmente diferente da maioria.


Moisés ousou caminhar sozinho pelo caminho estreito. Se Moisés não tivesse tomado essa decisão, quem abriria o Mar Vermelho? Quem operaria dez sinais e maravilhas através das dez pragas no Egito? Quem falaria à rocha e dela brotaria água no meio do deserto? Quem seria o homem mais manso da terra? Quem poderia permanecer na presença do Senhor por 40 dias no monte Sinai? Quem teria o privilégio de viver hoje nos céus?


Elias foi outro personagem bíblico que aceitou caminhar pelo caminho estreito e por ter tomado essa decisão, Deus igualmente pode operar grandiosamente através de sua vida. Se Elias não tivesse aceitado esse desafio, quem pelo poder de sua palavra faria com que houvesse uma seca de três anos e meio em todo o território de Israel? Quem seria alimentado diariamente por meio de corvos durante um período de seca e fome? Quem faria com que a farinha e o azeite na casa de uma viúva jamais se acabassem quem sabe por meses ou anos? Quem ressuscitaria um menino? Quem destruiria por sua palavra a dois capitães e a seus 50 soldados? Quem, com uma capa repartiria as águas do rio Jordão? Quem subiria ao céu numa carruagem de fogo sem ver a morte?


Prezados amigos, é por isso que Jesus nos convida hoje a aceitarmos o desafio de caminhar pelo caminho estreito. Os que caminham por esse caminho podem imaginar que estão sozinhos, pois a multidão preferirá o caminho descendente. Porém “a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.” Prov. 4:18


“Se, porém, andarmos na luz, como Ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado.” I João 1:7


Prezado amigo, alguém disse que “o homem tem apenas dois rumos que pode escolher na vida: o ‘eu’ (sua própria vontade), ou Deus”.


Escolher sua própria vontade pode levá-lo a ser infeliz aqui nessa terra e a perder a vida eterna. Por outro lado, escolher a vontade divina significa ser um para conosco e portanto, não nega nada que não nos seja prejudicial ou que não nos possa acarretar algum mal.


Prezado amigo, não quer você ser original, caminhando não com a maioria, mas caminhando com os originais servos de Deus, tendo seus pecados purificados, até chegar aquele maravilhoso e brilhante dia, quando os céus se abrirão e você poderá continuar caminhando ao lado de Jesus, Aquele com quem você já tem andado aqui na terra, como o aconteceu a Moisés e a Elias?


Aceite esse convite, pois é Jesus quem o faz.

Nenhum comentário: