30 de mar de 2010

ANDANDO EM SEUS PASSOS

ANDANDO EM SEUS PASSOS







“Aquele que diz que permanece nEle, esse deve também andar assim como Ele andou.” I João 1:6






Ilustração:


Albert Schweitzer nasceu em 14 de janeiro de , e quando chegou aos 30 anos de idade era um médico reconhecido em toda a Inglaterra. Ele ocupava o cargo de diretor do Colégio São Tomás. Em toda a Europa não havia ninguém que melhor executasse as obras de Bach, além disso, era filósofo famoso, músico, escritor internacionalmente conhecido e pastor. Mas Albert Schweitzer não estava satisfeito.


Ele cria que um cristão deve imitar a Cristo, viver Sua vida e seguir os Seus passo. E para ele, seguir os passos de Jesus significava deixar a Europa e ir à África como médico missionário. E foi exatamente o que Albert fez. O Dr. Schweitzer passou mais de 50 anos em Lambarene, na África dando uma demonstração do amor de Cristo. Ele construiu um hospital e uma colônia para leprosos e prosseguiu humildemente em sua tarefa de andar nos passos de Jesus.


Quando já bem idoso. Morreu como vivera, de joelhos ao lado de sua cama orando com a Bíblia aberta procurando descobrir que mais poderia fazer por seu Mestre. Seu corpo foi então levado para a Inglaterra aonde recebeu honrarias, mas seu coração ficou enterrado junto àqueles que aprendera a amar.


Prezado amigo, você também tem a intenção de seguir os passos de Jesus? Se este é o seu desejo, certamente que você não precisará, como Albert Schweitzer, ir à distante África ou a algum outro lugar remoto. Mas você pode descobrir os passos de Jesus junto ao leito do enfermo, nos asilos, albergues para pobres, orfanatos, nos becos, favelas ou vielas de sua cidade, na praça ou mesmo na rua. Onde haja corações humanos em necessidade de consolo, ali deve estar um cristão.


No livro de Atos 11:26 lemos que na cidade de Antioquia os seguidores de Cristo foram pela primeira vez chamados de cristãos, e sabe por que? Porque suas palavras, suas ações, seus pensamentos, sua conversação, toda a sua vida refletia a Cristo. Diante desta verdade, não é estranho que algumas pessoas hoje ainda possam receber esse mesmo nome: o de cristãos quando não são em nada semelhantes a Cristo?


Os apóstolos viveram muito próximos de Cristo por aproximadamente três anos. Quando Cristo ascendeu aos céus, passaram a imitá-lO em tudo.


Gosto de seguir os passos do apóstolo Pedro no livro de Atos: no capítulo 2 ele cheio do Espírito Santo faz um sermão tão maravilhoso, que três mil almas são batizadas. No capítulo 3 Pedro cura um coxo que esmolava à porta do templo; e em seu novo discurso leva mais cinco mil pessoas a aceitarem a Jesus. No capítulo 4, ele é preso mas em seguida é solto e prossegue seu trabalho. No capítulo 5, o Espírito Santo a ajuda a desmascarar a Ananias e a sua esposa Safira que tentaram enganar a pequena igreja nascente.


Então lemos que todos os apóstolos começam a operar milagres. A sombra de Pedro cura enfermos, seus lenços e aventais são levados até os enfermos que tem sua saúde física restabelecida. O mais interessante nesses relatos é que tanto Pedro quanto os demais apóstolos operam maravilhas, pois estão imitando a Jesus, àquele que “andava fazendo o bem.”


Há muito a ser feito pelos cristãos ainda hoje, pois “tão certo como há um lugar no reino dos céus preparado para cada filho de Deus, há igualmente um lugar aqui na terra para cada um ajudar a preparar pessoas para esse reino.”


Quantas crianças estão a espera de pais adotivos ou de alguém que lhes estenda a mão para tirá-las das ruas, dos vícios, da vida vazia e sem sentido, proporcionando-lhes uma vida feliz, de utilidade e de dignidade.


Quanto idoso há, abandonado em seu próprio lar ou nos asilos. Sentem-se esquecidos, desamparados, não amados e até mesmo desprezados. Pessoas que deveriam receber todo o carinho, atenção e reconhecimento depois de ter deixado para trás de si uma vida de utilidade, por terem ido à frente abrindo caminhos. Necessitam de atenção, amor e companhia.


Enfermos lotam hospitais. Quantos deles necessitam mais do que medicamentos, mas de um gesto amigo, uma palavra bondosa, um olhar de simpatia para devolver-lhes a fé e a esperança.


Há presídios cheios de homens e mulheres que cometeram erros que não puderam ser perdoados como os nossos erros diários, e agora se sentem como refugos da sociedade, perderam a dignidade, desconhecem seu valor próprio. Necessitam de alguém que lhes conte acerca de Jesus, Aquele que já os perdoou, aquele que é o Advogado que nunca perdeu uma só causa, para que ganhem novas esperanças e aprendam a reorganizar seus objetivos para a vida.


Há jovens, rapazes e moças, mulheres e homens que perderam a dignidade e a buscam desesperadamente em vícios, drogas e prostituição. É necessário mostrar-lhes o quanto valem para Jesus – um preço incalculável, pois custaram o sangue precioso que um dia foi derramado no Calvário.


Prezado amigo, não quer você andar nos passos de Jesus imitando-Lhe o exemplo e trabalhando em favor destes e de muitos outros?


“Aquele que diz que permanece nEle, esse deve também andar assim como Ele andou” I João 1:6


Que você e eu aceitemos este desafio de andar nos passos de Jesus!





Nenhum comentário: