31 de mar de 2010

AMOR NAO RESPONDIDO

AMOR NÃO CORRESPONDIDO

Ilustração:
Conta-se que um médico famoso curou uma criancinha de uma doença muito grave. A mãe da criança era uma mulher simples, mas ficou tão grata pela cura da filha, que procurou o médico em sua residência para demonstrar-lhe seu reconhecimento. Com muita gentileza, falou-lhe:
-“Doutor, compreendo que há certos serviços que jamais poderão ser integralmente recompensados. O senhor salvou a minha filha. Não sei como expressar minha gratidão. Trouxe-lhe esta bolsa que eu mesma confeccionei para ofertar-lhe, como prova de minha eterna gratidão.”
O médico que esperava por seus honorários, respondeu friamente:
-“Madame, a medicina não é um assunto tão banal como a senhora julga. Pequenas lembranças não são suficientes para manter-nos.”
A pobre mulher, desconcertada, perguntou:
-“Doutor, então quais são os seus honorários?”
-“Quarenta libras”, foi a resposta lacônica do médico.
A mulher abriu a delicada bolsa bordada que levava e retirou da mesma, cinco notas de vinte libras; separou duas delas e as entregou ao médico, guardando as três notas na bolsa que havia oferecido à pouco. Com um gesto de cabeça, ela cumprimentou o avarento médico e amargurada regressou ao seu lar.
Assim, o médico perdeu sessenta libras, uma bolsa e uma amizade!
Prezado amigo, ao ouvir uma história como esta você não se sente indignado? Como o médico pode ser tão insensível com alguém que apenas queria demonstrar-lhe bondade, reconhecimento, gratidão e generosidade?
Ficamos felizes em pensar que sua avareza, grosseria e indelicadeza o fez perder sessenta livras que ele receberia se simplesmente aceitasse a bolsa com tudo o que ela continha...
Mas, espere, será que essa história não tem nada a ver conosco?
Quantas vezes oramos, repetindo como profissionais apenas algumas palavras bonitas, palavras até mesmo elegantes, mas sem pensarmos nelas, sem sentimento, mera formalidade!
E Deus, ao nos ver iniciando o diálogo, como aquela bondosa senhora, Se aproxima de nós com a ‘bolsa cheia’ de preciosas dádivas, contendo exatamente tudo aquilo que mais ansiamos, tudo aquilo que poderia nos tornar felizes, e tantas outras bênçãos que jamais ousamos expressar, e nós, simplesmente olhamos para Deus e dizemos: -“Tenho pressa, dê-me apenas aquilo que realmente me interessa.” Damos assim as costas ao Senhor e cremos que cumprimos o nosso dever.
De quantas bênçãos não temos sido privados por nossa pressa, nossa falta de verdadeira comunhão! Por que agimos assim? Certamente que todos nós somos pessoas ocupadas. Vivemos correndo contra o relógio, correndo contra o tempo. Mas você já reparou como sempre encontramos tempo para aquilo que é importante para nós? Os rapazes e moças apaixonados passam horas em companhia da pessoa amada, e sempre encontram algum tempo extra para novos encontros!
O estudante que tem um alvo elevado, um grande objetivo para a sua vida, despende horas e horas debruçado sobre cadernos e livros e sempre encontra mais tempo para estudar para as provas, fazer trabalhos, etc.
A dona de casa, apesar do fato de que o seu trabalho nunca se encerra, passa horas à frente da TV ou fazendo compras, conversando com amigas ou apenas vendo vitrines...
O chefe de família que nunca encontra tempo para a família encontra lugar em sua agenda apertada, para uma conversa com os amigos, uma partida de futebol ou uma pescaria.
É claro que nada há de mau em nenhuma destas atividades. O problema é que ‘onde estiver o nosso tesouro, aí estará o nosso coração.” Mateus 6: 21
Só temos tempo para aquilo que valorizamos.
Então por que temos tão pouco tempo para Deus? Talvez você pense: “isto não é para mim, porque vou aos cultos da igreja, aos ensaios, aos estudos bíblicos e até mesmo me envolvo em atividades de testemunho.”
Porém, quanto tempo passamos sozinhos com Deus? O maior problema hoje é que estamos tão ocupados fazendo as coisas para Jesus, que não temos tempo para Ele!
‘Que pensarão os anjos do céu, a respeito (nós) pobres e desamparados seres humanos, sujeitos à tentação, quando o coração de Deus, pleno de infinito amor, Se inclina anelante para nós, pronto para dar-nos mais do que sabemos pedir ou pensar, e contudo oramos tão pouco, e tão pouca fé exercemos!” CC, 80
Quando Cristo vier para buscar os Seus filhos, é possível que alguns daqueles que se julgam amigos dEle, não O reconheçam, porque estiveram tão ocupados, que não tiveram tempo para ouvir Sua voz!
Para estes, o Senhor dirá: “nunca vos conheci.” Mateus 7:23
Prezado amigo, tome tempo cada dia para estar com Jesus, como se fosse um longo período de namoro. Fale com Ele não através de orações formais. Permaneça quieto, reverente após a oração. DE um tempo para que Deus lhe responda! Leia Sua carta de amor escrita especialmente para você, essa carta é a Bíblia. Então, você estará recebendo muito mais do que apenas aquilo que você precisa, mas muito mais do que isso, receberá ainda a Jesus, a Pérola de grande preço!

Nenhum comentário: