23 de fev de 2010

CONTINUAÇÃO A HISTORIA DO PENTECOSTALISMO

                              Dando Continuidade...

Aos que procuravam receber a `` segunda benção´´ era ensinado que cada cristão precisa esperar  LC: 24; 49. pela promessa do batismo no Espirito Santo. E, Assim, Seria quebrado o poder do pecado que domina a pessoa desde o seu nascimento, levando-a a viver cheia da Espirito. Alem disso, Joel profetizou que, como resultado do derramamento do Espirito de Deus, `` VOSSOS FILHOS E VOSSAS FILHAS PROFETIZARÃO´´ nos ultimos dias. JL: 02; 28.
      A crença numa segunda obra da graça não ficou confinada ao circulo metodista.Charles G. Finney, por exemplo, acreditava que o batismo no Espirito Santo provesse o revestimento do poder divino para se obter a perfeição cristã. Sua teologia, porem, não se encaixava nem na categoria Weslyana nem na reformada. Embora a teologia da reforma haja identificado o batismo no Espirito com a conversão, alguns reavivalistas, dentro dessa tradição, aceitavam o conceito de uma segunda obra da graça para revestir os cristão do poder do alto. Entre eles se encontravam Dwight L Moody e R. A. Torrey. Apesar desse revestimento de poder, acreditavam, a santificação mantinha-se em sua obra progressiva. Outro personagem-chave, um ex-presbiteriano, A. B. Simpson, fundador da aliança cristã e missionaria, cuja forma de pensar teve grande impacto na formação doutrinaria das assembleia de Deus, enfatizava nitidamente o batismo no Espirito Santo.
      Semelhantemente, as conferençia em Keswick, na Grã-Bretanha (que tiveram inicio em 1875 ), tambem influenciaram grandemente o movimento da santidade na america do norte. os conferencistas em Keswick acreditavam que o batismo no Espirito Santo produzia uma vida de continua vitoria (a vida mais sublime, ou mais profunda ) caracterizada pela plenitude do Espirito. esta veio a ser a interpretação preferida ao conceito Wesleyano, que sustentava que o batismo no Espirito produzia a perfeição cristã.


                                        CONTINUA....

Nenhum comentário: